"Corrigir uma página é fácil. Mas escrevê-la - ah, amigo! - isso é difícil."

terça-feira, 26 de julho de 2011

SERÁ QUE ALGUÉM VAI TER CORAGEM DE ME CONVIDAR ?



Respondendo aqui a pergunta que tenho ouvido.

Se ainda prego a Palavra de Deus?
Sim, prego! E até posso aceitar o seu convite para fazê-lo, mas vão abaixo algumas recomendações que precisa saber, antes de me convidar para pregar em sua igreja ou culto domiciliar. Assim podemos evitar alguns constrangimentos desnecessários. Pois nesses pontos, sou bem enfático e não abro mão.


 Não cobro cachê, pois recebi de graça e de graça dou (Mt.10:8).
Não exijo passagem de avião, hotel cinco estrelas, e outras mordomias.
Não gosto de chegar ao templo já quase na hora de pregar para não chamar a atenção para mim.
Não levo Dvds, Cd's e livros para vender no púlpito.
Não minto para o povo dizendo que estou vendo anjos, serafins e bola de fogo no templo.
Não mando o povo levantar a mão e dizer glória ou olhar no olho de seu irmão e dizer que o ama.
Não imito língua estranha de outro pregador.
Não prego sermões repetidos e nem de outros pregadores.
Não faço ameaças no púlpito e não lanço maldição sobre ninguém.
Não faço parte de agência de pregadores.
Não bajulo o pastor que me convidou para ser convidado novamente.
Não dou ordens aos anjos.
Não declaro, não determino.
Não faço atos proféticos
Não xingo meus irmãos tradicionais que não creem na atualidade dos dons espirituais.
Não luto caratê no púlpito, não dou soco no ar, não pulo, não rodopio.
Não fico enchendo lingüiça na hora da mensagem falando em língua sem interpretação.
Não conto piadas no púlpito (aliás nem em outro lugar).

Não tenho como mentores espirituais homens como: Benny Hin, Morris Cerullo, Kenneth Hagin, R.R. Soares, Edir Macedo, Robson Rodovalho, Rene Terra Nova, Estevam e Sonia Hernandes, Valnice Milhomens, Fadi Faradi, Mike Murdock, Silas Malafaia, Marco Feliciano.
Quando me convidam para pregar, oro, leio e estudo a Bíblia, consulto comentários, faço exegese do texto, peço a direção do Espírito Santo, prego com sinceridade e dou toda Glória a Jesus e somente a Ele.

Prego o Evangelho que Jesus e Paulo pregou.

Será que alguém vai ter coragem de me convidar para pregar?

E se ninguém me convidar não tem problema, vou continuar sendo um cristão que ama a Palavra de Deus, cumprindo a mais sublime tarefa, buscando viver aquilo que prego.

Fonte: Blog Professor Apologética. http://professorapologetica.blogspot.com/2011/07/vai-um-pregador-ai.html#comments
Loading

6 comentários:

  1. Acho que você não vai ser convidado não amigo,é melhor você pregar no Carnaubal, que essas invenções ainda não chegaram lá.Eu ter muito gosto de ocê pregar lá na minha roça...rsrsr

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Vc é contrário a alguns líderes evangélicos,o q vc diria a respeito do Apóstolo Valdemiro Santiago da Igreja Mundial do Poder de Deus?No quinto parágrafo vc diz a seguinte frase:Não fico enchendo linguiça na hora da mensagem falando em língua sem interpretação,o q quis dizer?Vc desacredita na língua dos anjos,mas popularmente conhecida como língua estranha?

    ResponderExcluir
  4. Oi Danielle, obrigado por sua visita.
    Sim, sou contrário a muitos líderes evangélicos que ensinam um outro evangelho(gálatas 1:8 e 9) que Jesus nunca ensinou e que não encontramos respaldo bíblico. Se não está em conformidade com as Escrituras, eu renego, não aceito mesmo. E mais ainda: faço questão de dizer o porquê.Sobre sua pergunta sobre o dom de linguas, respondo com as palavras da própria bíblia: I Corintios 14:2,4,8,9,10,18,19 e20.
    Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.
    O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza(Prega a Palavra) edifica a igreja.
    Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?
    Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? porque estareis como que falando ao ar.
    Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.
    Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.
    Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.

    Usar esse dom, para se promover como alguém espiritual é algo abominável, anti bíblico e eu jamais concordaria. A igreja precisa de edificação e não de mistérios.

    ResponderExcluir
  5. Sobre o apóstolo Valdemiro Santiago, postarei aqui brevemente o que penso sobre ele. Aguardem!
    Deus abençoe a todos!

    ResponderExcluir
  6. Hoje, somos alimentados por um evangelho meramente comercial, divulgado por homens que tomam a forma de empresários e ensinam que todos devem tomar o exemplo deles. Precisamos voltar a fazer a obra com paixão e voluntariedade, combatendo o erro doutrinário, a falta de amor e o cuidado demasiado pelas coisas dessa vida terrena. Pouquíssimas são as pregações sobre o CÉU e a promessa de uma herança eterna reservada em uma Pátria Celestial.
    Sabemos que Jesus também discordou do procedimento dos líderes religiosos da sua época, quando a hipocrisia, os interesses próprios e a preocupação unicamente exterior faziam parte da vida de muitos. A religiosidade extremista e controladora e o mau testemunho de vida dos que comandavam o povo, foram duramente combatidos por Cristo.A simplicidade que existe em Cristo assusta e até escandaliza grande parte do povo evangélico, acostumado a sonhar os sonhos dos homens e não os sonhos de Deus. Jesus comissionou o seu povo a ir por todo o mundo e pregar o seu evangelho. Os “profissionais da fé” que hoje pregam nos templos são os grandes responsáveis pelo rumo tomado pela igreja moderna. A mensagem simples da fé no Filho de Deus foi esquecida e trocada por fábulas e estudos dirigidos por sabedoria humana, bem diferente do ensinamento que Cristo procurou dar a simples pescadores e a homens humildes, que reconheciam que precisavam de fé (e não de dinheiro) para levar adiante o que aprenderam do mestre. A mensagem da cruz não era pregada para resolver o problema financeiro do pecador, mas para salvar a alma do homem perdido. O próprio apóstolo Paulo não se cansava de escrever as mesmas coisas, procurando anunciar unicamente a verdade, sem se preocupar em agradar a homens ou acrescentar outras coisas ao evangelho.
    (texto da apostila "Um Mestre de Sandálias" do irmão Milton C. Mendes)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...